Aos amantes das Letras e o amor pelo literário

0

ão há comunicação mais fascinante do que expressar-se através das Letras. Desde os primórdios, com seus vestíveis primitivos e com aprimoramento gradativo, pombo-correio, cartas, telegramas e as mais evoluídas hastags, escrever é surreal. 

Com as letras, é possível viajar em linhas e entrelinhas de todas as sensações e sentimentos, pensamentos e percepções.

A saudade e o amor, por exemplo, são os mais cogitados. Escrever sobre ambos é produzir com a alma, interpretar com o coração e compreender, com a razão, o quase incompreensível. Nesse particular, há casos em que não há letras e palavras suficientes.

Ah, as letras! De boas redações, das canções, dos versos e recordações.  

Na forma brasileira, como falam por aí, usar as letras é “caetanear, buarquear, machadear e cora coralinizar”. Na forma maranhense é, então, “aluiziar-se, gullariar-se”entre terras, palmeiras e sabiás, “gonçalvear” em seu exílio…

Mas, é quase impossível falar das Letras, sem falar em Arari, berço da literatura local, através de canções, descrição de paisagens, cultura e tradições tantas. Aqui há sempre algo a ser escrito. Do rio Mearim, por exemplo, as mais variadas inspirações. A cidade é lugar de grandes recordações e das atuais escritas e interpretações da realidade.

Por aqui, “peronizar, clodomir-se-á” e viajar com tantos nomes e renomes que compõem o que se poderia chamar de gênero literário arariense, “josé marisiando, hilton mendonciando, adenilzeando, marise batalheando, edna bezerreando, cleilson fernandeando” e tanto outros nomes, com os quais é possível “gerundiar”, pois os mesmos têm amor pelas Letras e, literalmente, a arte de “literar”.   

Ana Baldêz

Ana Dorisllanny de J. Baldêz, 30 anos, é natural de Buriti-MA. Professora formada no Magistério e graduada em Letras Português/Inglês. Filha de Professora que era amante da Língua Portuguesa, tornou-se amante das letras, tendo por paixão o gênero cordelista e poemas em versos livres.

Residente em Arari há alguns anos, é apaixonada pelo lado cultural e literário da cidade. Já realizou o Mini Festival de Poemas e Poesias, na Escola José Francisco, no Peri-mirim, onde incentivou alguns alunos a mostrarem os talentos, através do ato de ler, escrever e interpretar .

Na oportunidade do referido festival literário, foram homenageados escritores ararienses que fazem parte da ALAC: os confrades Adenildo Bezerra e Cleilson Fernandes .

Atualmente, a professora Ana Baldez ministra aulas partículas, cuja motivação e incentivo é que as crianças até 10 anos de idade saibam ler, escrever, compreender e interpretar, de forma consciente e encantadora.

Fonte:https://quarentenaliteraria.blogspot.com/2020/05/aos-amantes-das-letras-e-o-amor-pelo.html