Comunidade se reúne para discutir criação do Conselho Comunitário de Segurança- CONSEG

 

 
O gerente do banco do Banco do Brasil de Coelho Neto, Elias Barros,  em parceria com Empresários, Polícia Civil e Militar, Advogados, Igreja Católica, Poder público e Legislativo, e vários outros representantes de segmentos da sociedade civil organizada, reuniram-se na noite desta terça-feira (21) no Centro de Formação Padre Jordan em Coelho Neto. A reunião teve como intuito dar o ponta pé inicial para a criação do Conselho Comunitário de Segurança (CONSEG) de Coelho Neto/Ma. 


O conselho já existente em várias cidades é uma entidade de apoio aos organismos policiais. Uma instituição sem interesse comercial ou político. Que se encaixa perfeitamente no artigo 144 da Constituição Federal, que diz: a preservação da ordem pública e de dever do Estado, porém, direito e responsabilidade de todos.

Os conselhos são formados por pessoas da mesma comunidade que se reúnem para discutir, planejar, analisar, e acompanhar as soluções de seus problemas, o qual se refere a segurança pública.  Podem participar empresários, ONGs, igrejas, escolas, conselho tutelar, regionais da prefeitura, secretarias municipais e estaduais, impressa, entre outro.


Na reunião os participantes puderam ouvir depoimentos das autoridades polícias responsáveis pela segurança do município. Como o delegado da Polícia Civil Sidney Tenório e o Comandante da Polícia Militar Paulo Jamerson.


O delegado Sidney Tenório, explicou a realidade da segurança no município de Coelho Neto e regiões pela qual a delegacia responde. Falou das dificuldades encontradas para que o trabalho da polícia civil seja feito com mais eficiência. Lamentou a deficiência no corpo policial, que é insuficiente para atender a demanda dos 3 municípios, dentre outros problemas. Disse ainda que,  o porta dos problemas de segurança em coelho Neto é o trânsito.

 “ Se é para discutir segurança pública, vamos começar a discutir essa segurança começando por dentro de casa, da base familiar, da escola, da comunidade, do sistema público que deve contribuir com ações como projetos sociais de prevenção e também de ressocialização. Não adianta prender um infrator e lá ele não tem nada que lhe acrescente ou que lhe incentive a sair do mundo da criminalidade. E quando saem, não tem oportunidade de emprego, sem profissão, sem destinos, e voltam a praticar crimes. A gente vive ciclos de violência a enxugar gelo”, lamentou o delegado. 


O comandante da Polícia Militar, Paulo Jamerson, também foi profundo em suas reflexões e relatos. Falou de sua longa experiência de 14 anos como Policial Militar, e que ao chegar em Coelho Neto encontrou uma tropa desmotivada e uma estrutura caótica. Reconheceu que a situação melhorou, pois tem recebido apoio do governo do estado, como com a chegada de novas viaturas. Segundo ele, a situação de segurança ainda é preocupante, por diversos fatores. O comando de Coelho Neto hoje contar com um efetivo de 78 Policiais Militares, que fazem o patrulhamento nas 03 cidades, Coelho Neto, Duque Bacelar e Afonso Cunha. Tem recebido reforço ostensivo de policiais extras, no intuito de coibir ações criminosas. 

“ Até dezembro, o Governo do Estado já nos garantiu que continuará a nos enviar policias extras para aumentar a tropa e assim estamos intensificando operações de combate à criminalidade. Neste final de semana não registamos nenhum assalto nas 03 cidades”, disse o comandante da polícia militar de Coelho Neto, Paulo Jamerson. 


Pronunciaram-se também o sec. de Articulação Política do Município, Milton Mourão e o Presidente da Câmara de Coelho neto, Osmar Aguiar.

Representante do poder público Municipal, Milton Mourão disse que a administração está aberta a diálogo, e que está estudando formas de contribuir para a melhoria da segurança pública de Coelho Neto. 


O presidente Osmar Aguiar, falou sobre a crise financeira do município e reconheceu que esse é um dos principais fatores dessa insegurança no atual momento. Disse ainda que, tentará junto a Administração Municipal criar perspectivas para que a juventude tenha uma melhor qualidade de vida. Acredita que, essa seja uma forma de prevenção, de cuidado para que eles não se evolvam no mundo do crime. 



Esta foi apenas a primeira reunião para chamar a atenção da sociedade para o problema de segurança pública em Coelho Neto. Assunto esse, que ainda terá muito o que ser discutido. E assim, ser criado o Conselho Comunitário de segurança pública de Coelho Neto. 

Com informações do https://diariodenoticiascn.blogspot.com.br

Comentários